Install theme
Charles Bukowski, no livro “Crônica de um amor louco”. Porto Alegre: L&PM, 1984. 
Porque, se não me sinto feliz, não sirvo para nada, e eu quero servir para alguma coisa.
Caio F. Abreu.  
Queria acordar, mas não era um sonho.
Allax Garcia  
Você conhece esse teatro, já viu essa peça diversas vezes, decorou os atores e sabe bem as más intenções do protagonista. Então por que diabos você ainda acredita?
Tati Bernardi.  
Caso tudo isso seja um trabalho inconsciente para me perder, parabéns, você está conseguindo. Mas se ainda existir dentro de você alguma esperança, eu preciso demais que você me abrace e me faça sentir aquilo novamente. É fácil, basta você querer, eu ainda quero tanto. Eu preciso sentir que você ainda sente, eu preciso que o seu coração dê um choque no meu, eu preciso saber que seu peito ainda aperta um pouco quando eu vou embora e se espalha como borboletas nas veias quando eu chego.
Catedral. 
A vida é frágil e viver é um lindo momento quando se sabe amar, notar a poesia perdida no tempo rebuscar, num eterno acreditar. Será que o sonho acabou? Será que o que somos se foi? Sei que a tempestade dará seu lugar a um dia de sol… Tenho certeza que vou te encontrar, não sei o dia e a hora, mas sei o lugar. Sei que você está bem, mesmo assim isso não me impede de chorar. Os nossos momentos, as nossas idéias, presente em todas as canções. O que nós sentimos, os nossos desejos seguirão em nossos corações. Você foi tão cedo, a vida é um mistério e ela não diz porque… Mas tua semente hoje está presente e vai florescer… Tenho certeza que vou te encontrar, não sei o dia e a hora, mas sei o lugar. Sei que você está bem, mesmo assim isso não me impede de chorar.
Quem é você, Alasca? 
Eu queria tanto me deitar ao lado dela, envolvê-la em meus braços e adormecer. Não queria transar, como nos filmes. Nem mesmo fazer amor. Só queria dormir com ela, no sentido mais inocente da palavra.
G.
Minhas paranoias são graves
O meu grito é interno
A guerra é mental
Diga-me então:
Prevaleço forte
Heroína sou, ou não?
Sean Wilhelm. 
Você deixa um alfinete cair no chão do seu quarto e pensa “daqui a pouco eu pego”. Horas depois você se esquece, se distrai, e acaba pisando em cima, sente uma dor terrível. Você sabe que poderia ter evitado com um simples gesto, mas mesmo assim fica com ódio por ter se machucado de forma tão idiota. Você se recusa a acreditar que algo tão inofensivo no momento possa te fazer algum mal. Se esquece que pequenas coisas podem causar dores insuportáveis. Mas aprende que nem toda dor é física.
Richard Medeiros  
Algumas pessoas só sabem fazer falta.
Vou acabar sumindo  
Eu sou aquela pessoa toda errada, que não sabe fazer nada, que por mais que tente fazer a coisa certa, sempre faz a errada. Um desastre em forma de ser humano, uma pedra na vida das pessoas. Um obstáculos que querem pular. Uma pessoa que desejam esquecer, uma pessoa que só traz sofrimento, uma pessoa para manter distância. Até eu me surpreendo com as coisas que acabo fazendo, nem eu acredito que posso ser um desastre assim.
Charles Bukowski.  
Há qualquer coisa dentro de mim que me magoa.
Rita Apoena. 
Quem não compreende o silêncio ainda não está pronto para ser flor.
Rita Apoena.   
Não precisa ficar com medo. Quando a sua mãe não abrir a porta e você passar o dia todo para o lado de fora, eu vou brincar com você e te abraçar tão forte que este sentimento de abandono irá se transformar em mil e quinhentas borboletas no ar, rodopiando em seu cabelo, fazendo cócegas em sua barriguinha. Então, você irá entender que sua mãe não pode abrir a porta porque dentro do quarto onde ela chora, faz tanto frio e tanto medo que o jeito mais bonito que ela encontrou de te amar foi te deixar para o lado de fora.
Anarquismos.    
Somos todos feitos de podridão. Urubus rodeiam e se esbaldam na carniça que é nossa alma. Somos todos um bando de miseráveis que se enterram em suas ignorâncias e jogam ao ar o cheiro e o amor mal passado. Somos fúteis, sou fútil, você é fútil e mergulhamos todos na futilidade uns dos outros. Maldito ser humano. Todos. Podem me chamar de generalizador, podem me dizer que existem seres humanos bons e toda aquela baboseira de sempre. Mas não! O ser humano tem entranhado em seu ser o desprezo e a superficialidade. Choros, risos, alegrias, tristezas: tudo isso tem uma ponta de mau caráter e de mesquinharia. Sinto um ser humano chegar quando está a quilômetros de distância, pois o fedor que sua alma exala é tamanho que até um velho rabugento com o nariz entupido consegue sentir. É a realidade pura, nua e crua que vai de encontro com a sua cara e te dá um tapa e deixa as marcas dos dedos pelo resto do dia. Chega de dormir. Chega de achar que o ser humano tem algo de bom, porque não. Somos todos oriundos da podridão e somos moribundos em nossas cabeças grandes. Somos feios por meio e por inteiro. (Tosse).
C    redit