Install theme
Charles Bukowski.   
Tinha a impressão de que todo mundo estava me vendo e, também, uma sensação esquisita de vergonha. De ser culpado, uma bosta, a quem faltava qualquer coisa, feito formiga mijada ou bala de metralhadora que não acerta o alvo.
Marcelo Camelo.
Vou inventar avós que nunca morrem, e cachorros também. Eu vou inventar uma verdade sem problemas e um caminho doce pra poder voltar e catar todos os caramelos que tiraram de mim. E mesmo que tudo dê errado, mesmo assim, não tem problema. Eu deito no telhado de uma casa qualquer, olho pro céu e invento uma nuvem que chove sorrisos, bem encima de mim.
Sam, you okay? 
As vezes bate um cansaço emocional que não da pra controlar, o seu vazio ta me tomando por dentro, cada vez me encho mais de você, meu tudo, meu meio, meu nada….
Uma semana com a minha avó - Deprimentes  
Aos oitenta e nove anos, posso te dizer: Sim, eu amei um único homem em toda a minha vida. Quando fiz setenta e dois, havia feito um ano que ele não estava mais presente; um ano que eu via esse sentimento permanecer na mesma intensidade que os cinquenta ao seu lado. E hoje, dezoito anos após a sua morte, continuo amando, nem um pouco a mais, nem um pouco a menos, mas na exatidão de provar que o amei todos os dias. Amar sem medidas é lindo, mas amar na medida pra durar a vida inteira é magnífico.
Gabito Nunes  
Sei que você deve achar que nunca mais conseguirá transar na vida, que ninguém nunca pedirá pra ser seu marido e aquela coisa de felicidade está cada vez mais longe, ou que todas as estrelas da sorte daqui a pouco cairão na sua testa. Mas pelo amor dos céus, é só um relacionamento falido, mais um, grande áfrica. Olha o lado bom, chora hoje, deixa seus olhos líquidos escorrerem toda essa maquiagem fúnebre, desenha com rímel preto um novo dia na minha camiseta. Amanhã, de rosto novo, a gente pinta uma carinha feliz e circense, e eu te levo de carro pra ver o mar. Ninguém vai perceber seu riso postiço, o mundo inteiro vai estar ocupado sorrindo com você. Confia em mim, às vezes quem está de fora enxerga melhor. E daqui vejo seu sorriso, sei bem do que ele é capaz de fazer.
Orquestrando. 
Sinto muito se não sou quem você queria que eu fosse, sinto muito se vez ou outra piso na bola, nem eu me entendo, devo desculpas a mim também. Acho que tudo que você pode fazer é me ajudar a melhorar essa confusão toda que eu sou, e me aceitar assim mesmo. É um pouco frustrante, ter a sensação de não conseguir manter alguém comigo por muito tempo, mas, eu espero que contigo seja um pouco diferente. Mas, tudo bem, se não conseguir lidar com isso, eu vou entender.
Cinzentos 
O precipício era tão raso que eu bati a cabeça nas pedras do silêncio. E sabe? Eu nunca mais fui o mesmo. Uma pancada na cabeça e a memória criou pernas e saiu atrás de alguém com medo de altura ou o mínimo de dignidade. E o silêncio sou eu mesmo, enfermo incapaz de balbuciar qualquer coisa. Vejo luzes ao meu redor que perguntam de onde eu vim, da onde eu sou, mas eu sou apenas a inconsciência, a amnésia e um cheiro de álcool e noites mal dormidas que amaldiçoa um hospital vazio. Apenas depois do impacto eu consegui formar as metáforas perfeitas. O designer de ambientes deu a dica: espelhos fazem o espaço ser maior do que realmente é. Mas o teu espelho é do tamanho do espaço. Do universo. E a tua ninharia, o microscópio aperta as lentes pra poder ver. Você é mentira disfarçada de suor. Um estranho, um alienígena, uma partícula de poeira, parcialmente invisível, invadindo a minha alergia ao sofrimento dos outros. Minha tragédia maior foi esquecer o texto que estava na ponta da língua. O que eu já tinha ensaiado tantas e tantas vezes, quando eu ainda lembrava que o seu coração era faca de dois gumes. Mas esqueci o que não podia esquecer e amei o que eu não podia amar. Talvez ainda ame, mas eu não lembro mais de nada. A queda foi maior. E o motivo da queda? Um suicídio frustrado. Foi o nó da forca que desatou, mas manchou meu pescoço de roxo. Foi o seu espelho mais uma vez que alargou e adiou o meu ponto final. Talvez me jogando de vez naquilo que parecia infinito, eu morreria sem sentir a dor que o chão me aguardava. Mas o chão, pro meu azar, não estava dentro das tuas mentiras. E eu me estatelei antes que eu pudesse enxergar alguma parede, antes que eu pudesse me segurar. E foi bom. A sensação de voar por dois segundos. Ser livre. Dizer adeus e vá pro inferno. Foi bom, eu admito. Mas você é ainda pior do que o demônio, porque você também é o meu paraíso. Esquecer foi bom, enquanto esquecer não me fazia ser um suicida sem pretexto. O meu amor te encontrou da forma errada, jogando-se num abismo com fim. E envergonhadamente assumo que foi o meu amor que te transformou em algo ruim pra mim. Céu e inferno na mesma pessoa. Eu esqueci, enfim. Numa cama, quebrado e sozinho, de sorriso engessado e coração desesperado. As pessoas perguntam o meu nome e o meu nome é o eco do meu único grito de socorro. Eu esqueci de mim, mas infelizmente minhas amnésias ainda não são maiores do que o número de quedas que eu quero sofrer por você.
Gabito Nunes. 
Ela era do tipo que se machucava por qualquer besteira. Ele era do tipo que fazia muitas besteiras.
Tabacos
Você se culpa por não ter dito um “bom dia” para a velhinha do elevador, se culpa por ter chegado atrasado, se culpa por não ter ligado pra sua mãe para saber se está tudo bem, dizer que está com saudades. Se culpa até pelas crianças da Africa, se culpa pelo mundo estar tão bagunçado. Você quer ajudar todos, quer fazer de tudo, quer concertar as coisas. Mas, está esquecendo, de ajudar a si próprio, de fazer tudo pra você mesmo, de querer consertar seu coração, que pelo visto, não anda muito bem.
Relatos de Tess   (
Para mim era “nós”;
Para você era apenas “você”;
Para o mundo era apenas “eu”;
E na verdade, não éramos nada.
Recontador.
Não é bacana ser orgulhoso. Não é bacana morrer de vontade de falar, ver ou sentir alguém e não colocar isso para fora. Se mostrar forte, mas ter o mesmo pensamento quando acorda e quando dorme. Dizer para todo mundo que esqueceu quando nem você mesmo se convenceu. Lembrar com a cabeça no travesseiro ou o olhar congelado na estrada. Ouvir a música e conseguir sentir o cheiro. Ir ao restaurante e lembrar da mesa de sempre. Ver a foto e sentir aperto. Ligue, chame, mande uma mensagem, apareça sem avisar. Não há deslize ou vacilo que impeça você de tentar. Se a sua sinceridade não for bem recebida, acontece. Toda decepção vale o alívio. Não é bacana engolir a saudade. Sério, orgulho dá gastrite.
O Homem das Tulipas.
Não se escolhe a pessoa ideal, nem se exige, a gente descobre.
Caio F. Abreu.  
O médico perguntou:
- O que sentes?
E eu respondi:
- Sinto lonjuras, doutor. Sofro de distâncias.
C    redit